Como aumentar a produtividade com as mesmas oito horas diárias de trabalho?

Empregabilidade Wyden

As pessoas costumam falar da falta de tempo, desejando, assim, que o dia tivesse mais de 24h e, ainda assim, relatam que não seria possível realizar todas as suas atividades. Certamente, você se identifica com a maioria das pessoas, acha o tempo curto para fazer todas as suas atividades e, ao término de um dia de trabalho, acredita que a sua produtividade foi baixa e, assim, precisaria de mais horas para sanar as pendências. Muitas vezes, isso pode gerar um sentimento de frustração e impotência, causando ansiedade por querer solucionar um problema que parece não ter fim.

A velocidade com que as mudanças acontecem é a maior característica do mundo atual. Logo, trabalhar com foco na produtividade é fundamental.

No dias atuais, as empresas têm priorizado os colaboradores que possuem o “dom” de dobrar a sua produtividade, de forma que, além das suas atividades rotineiras, eles precisam e conseguem se responsabilizar pelas atividades dos colaboradores que se desligaram, afinal todos os dias empresas cortam centenas de pessoas do seu quadro de colaboradores.

Se todos nós possuímos as mesmas 24h, podemos dizer que o que realmente importa não é o tempo em si e, sim, a forma como o gerimos. E não podemos esquecer do número de papeis que exercemos em nossa vida. Para facilitar a compreensão de como gerir o seu tempo, faça uma lista dos papeis que exerce no âmbito profissional, por exemplo, e dê com mais efetividade à cada papel a sua devida parcela de atenção.

Agora, vejamos cinco dicas que irão servir de apoio na realização das atividades, no alcance de metas e na continuidade no ponto ‘produtividade’, com as 8h diárias de trabalho:

  1. Trabalhar com blocos de atividades: quando você classifica as suas atividades em blocos, fica mais visível o grau de atenção que deve dar a cada uma delas, pois mesmo ambas sendo importantes, umas nos mantêm no emprego e outras desenvolvem a nossa carreira. Nossas atividades estão divididas em:

Rotineiras: são as atividades consideradas comuns, mas que precisam ser realizadas para que possamos nos manter nosso cargo e garantir nosso salário.
Estratégicas: são as atividades que te impulsionam, ou seja, abrem um leque de possibilidades na sua carreira profissional.

  1. Priorização: faça uma lista das atividades que precisam ser realizadas no dia, semana, ou até mesmo mês e analise os seguintes pontos: o que é delegável; o que só você pode fazer; o que é mais importante ser feito (foque nisso); o que é mais urgente (faça isso); o que é secundário (faça no final do dia). Após a análise, estabeleça tempo para cada atividade (10min, 20min, 30min, 1h) e aja. Fazendo isso, evita-se dispersões desnecessárias que geram perda de tempo.
  2. Foco total: quando estiver realizando uma atividade, esqueça o resto. Dedique a ela toda a sua atenção. Dê foco ao que está fazendo e usufrua dos resultados.
  3. Faça pausas necessárias: parar é necessário. Pausas precisam ser feitas para que o cérebro relaxe e retome o trabalho com mais atenção e tranquilidade. A cada 1h, 1h30 caminhe um pouco, tome um café, converse com um amigo etc.
  4. Crie os seus rituais: um ritual define como vai ser o seu dia e, consequentemente, a sua vida. Se você tiver dias produtivos, sua semana será produtiva, se tiver semanas produtivas, os meses serão produtivos, se os meses forem produtivos os seus anos serão produtivos e, se tiver anos produtivos, a sua vida será produtiva e terá a sensação de uma existência que valeu a pena ser vivida.

“Faça o que é necessário, depois o que é possível e quando menos esperar estará fazendo o impossível!” (Francisco de Assis).

Vivianne Araújo
Designer de Carreiras
Centro Universitário UniFBV | Wyden

Relacionadas

A importância da preparação comportamental para inserção do aluno no mercado de trabalho
Autoconhecimento: um caminho para o sucesso profissional