Como Funciona o Financiamento Estudantil Privado?

Pagar um curso universitário é uma necessidade que faz parte, desde cedo, das possibilidades de gastos de muitos jovens. No entanto, nem sempre há condições financeiras para arcar com os custos de mensalidade e material. Como alternativa, existe o financiamento estudantil privado, que pode ajudá-los a terminar seus estudos. Você sabe como é feito um financiamento como este e quais são suas facilidades de pagamento? Não? Então confira este artigo e descubra!

O que é o financiamento estudantil privado?

Em tempos de desigualdade social, o financiamento estudantil privado surgiu como uma oportunidade de garantir os estudos de qualquer aluno, com um pagamento facilitado e maiores possibilidades de quitação das mensalidades. É como um empréstimo pessoal, mas focado especificamente no pagamento de cursos universitários. Seu principal intuito é, na verdade, facilitar o acesso à universidade.

O procedimento é realizado por diversos bancos ou outras instituições financeiras. Há diferenças na burocracia na hora da contratação, que pode deixar o processo mais rápido ou até mesmo muito mais trabalhoso, e nas taxas de juros, que variam muito de uma para outra.

Além das opções privadas, existe ainda o Fundo de Financiamento Estudantil, conhecido como Fies. Ele oferece algumas possibilidades semelhantes, mas mais limitadas, e é realizado pelo sistema público.

Como funciona o financiamento estudantil privado? 

Imagine que você vai escolher uma instituição de ensino, mas como estudante de um curso universitário particular, não conta mensalmente com o valor exigido para o pagamento da mensalidade. Há algum tempo, isso seria um motivo para que você largasse os estudos, certo? O financiamento estudantil evita isso oferecendo um período maior  para você pagar as parcelas. É possível financiar até 100% do valor do curso. Funciona assim: a instituição que realizou seu financiamento quita o preço de seus estudos e lhe oferece um prazo a mais após acabar o curso, para que você pague em parcelas bem menores do que as mensalidades.

Normalmente o prazo é o dobro. Então se você está fazendo um curso de quatro anos de duração, o comum é que o financiamento seja feito em 96 parcelas (oito anos), mas a opção é do estudante, pois, quanto menos parcelas, menores os juros aplicados. Uma das vantagens deste modo sobre o Fies é que ele se aplica a todos os tipos de curso, até mesmo pós-graduação e MBA a distância, enquanto o modelo público só serve para cursos de graduação presenciais.

Gostou de saber mais sobre o financiamento estudantil privado? Confira mais artigos com dicas como esta no site da Wyden Educacional! Você também pode falar conosco para saber mais sobre os cursos pelo telefone: 4020-4900.