A Evolução da Inovação Tecnológica nas Universidades Brasileiras

A universidade desempenha um papel significativo no desenvolvimento econômico, social e político de uma sociedade. Portanto, investir na área é uma forma de incentivar avanços em uma esfera que ultrapassa os limites das salas de aula. A inovação tecnológica, sem dúvidas, é um dos pilares para o desenvolvimento de pesquisas e facilidade de acesso ao conhecimento.

No Brasil, nos últimos 15 anos, foram visualizados avanços representativos na educação superior brasileira. Ficou interessado no tema? Confira este artigo e fique por dentro do assunto!

A inovação tecnológica nas universidades brasileiras

Como foi dito, os investimentos em inovações no ambiente universitário e de pesquisas acadêmicas passou por um crescimento significativo nos últimos 15 anos. A política que estabeleceu algumas mudanças foi a lei da Inovação Tecnológica, nº 10.973, em vigor desde 2 de dezembro de 2004.

A legislação, conhecida também como Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação, foi redigida com o objetivo de incentivar a ocorrência de parcerias entre universidades, o setor público e privado. Antes da lei, o relacionamento entre o ambiente universitário e setores produtivos era mais difícil devido, principalmente, às aplicações de Direito Administrativo.

A relação também tem como foco auxiliar na conversão e adaptação de pesquisas para produtos e serviços para serem inseridos no mercado e influenciam positivamente na vida social.

Novos passos da inovação tecnológica nas universidades

De acordo com os dados da Insead, escola européia de administração e negócios, entre os anos de 2011 e 2017, o Brasil desceu 22 posições no Ranking Mundial de Inovação. O fato preocupa, pois o incentivo à pesquisa e subsídios para que estudos saiam das universidades e auxiliem a sociedade como um todo estão longe de serem suficientes.

Diante da realidade, em 2016 a Lei de Inovação Tecnológica passou por alterações. A Lei 13.243, instituída em 11 de janeiro de 2016, sofreu alterações com o objetivo de para superar obstáculos observados desde a aplicação da primeira legislação, aplicada em 2004.

A inovação tecnológica nas salas de aula

Diante de incentivos governamentais desenvolvidos graças à lei de inovação tecnológica e busca por avanços e melhores experiências para os alunos, muitas instituições a investirem no setor e possibilitam transformações nas metodologias de ensino. Alguns exemplo que podemos destacar, são:

  • criação de plataformas que permitem que o aluno tenha aulas à disposição via internet;

  • possibilidade de realizar o estudo de matérias pelo sistema EAD (Ensino à distância);

  • desenvolvimento de aplicativos para smartphones com o intuito de facilitar o acesso à informações e estudo;

  • utilização de redes sociais como ferramenta de estudo e discussões (lives, stories, chats de mensagens instantâneas);

  • E-books, newsletter.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para continuar acompanhando os nossas publicações conheça as vantagens de ser um aluno da Wyden Educacional e avançar rumo ao sucesso profissional!

 

 

Relacionadas

6 Etapas para Elaborar uma Pesquisa de Iniciação Científica