Márcia Alawany, ex-aluna da Facid, é contratada pelo Governo Federal

Márcia Alawany

A jovem Márcia Alawany, natural de Várzea Queimada – Jaicós Piauí, após ter sido aprovada em 7 cursos através do ENEM (Biomedicina, Psicologia, Eng. Civil, Arquitetura, Farmácia, Nutrição e Terapia Ocupacional), em 2016 optou pela decisão de ingressar no bacharelado em Terapia Ocupacional. Ela concluiu sua formação acadêmica em dezembro de 2019.

Antes mesmo de ter o diploma em mãos, Márcia já havia recebido propostas de emprego e hoje se encontra contratada pelo Centro de Reabilitação Santa Ana, em Picos-PI e na Clínica Santa Fé, em Jaicós-PI.

A Terapia Ocupacional é uma profissão da área da saúde que promove prevenção, tratamento e reabilitação de indivíduos portadores de alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psicomotoras, decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas por meio da utilização da atividade humana como base de desenvolvimento de projetos terapêuticos específicos. É uma área de intervenção voltada para a pessoa e seu grupo social. O objetivo é ampliar o campo de ação, desempenho, autonomia e participação, considerando recursos e necessidades de acordo com o momento e lugar, estimulando ações de bem-estar e autonomia.

As áreas de atuação da TO são:

– Contexto Hospitalar:

Atua na realização de exercícios e atividades para manutenção e execução das atividades de vida diária (AVD’s), ganho de amplitude de movimento e força, orientação para reeducação sensorial, promoção e treino de motricidade, orientação postural e de ergonomia, adaptações, confecção de órteses, dentre outros.

– Contexto Escolar:

O profissional pode atuar no desenvolvimento de crianças especiais, como por exemplo, Síndrome de Down, Paralisia Cerebral, Transtorno do Espectro Autista (TEA), Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), entre outros. O TO atua com alunos que apresentam distúrbios e dificuldades de aprendizagem, alterações na coordenação motora fina, lentidão para copiar e executar tarefas escolares, dificuldades de orientação espacial e temporal, dificuldades de raciocínio e compreensão.

– Gerontologia:

O TO participa de programas de prevenção de doenças e manutenção da saúde, preparando o idoso para os eventos inerentes ao seu envelhecimento (aposentadoria, menopausa, perdas), incentivando seu convívio social, familiar e sua autonomia.

Na atuação com o idoso, o TO age como um facilitador que capacita o mesmo a fazer o melhor uso possível das capacidades remanescentes, a tomar suas próprias decisões e lhe assegurar uma conscientização de alternativas realísticas. A atividade proporciona uma vivência com significado existencial através da autorresponsabilidade, do compromisso, de expressão de valores e de sistematicidade, podendo envolver ainda convívio social pautado por bem-estar.

– Saúde Mental:

Nessa área, o profissional pode atuar em pessoas com o estado mental prejudicado desde um transtorno de depressão ou ansiedade, até um transtorno mental severo, como por exemplo, a esquizofrenia. O objetivo é a recuperação de uma má fase do distúrbio, melhora nas relações interpessoais e a inserção ou reinserção no mercado de trabalho.

– Saúde Funcional:

A função do TO nessa área é reabilitar trabalhadores que se acidentaram por causa da rotina arriscada ou pelo esforço repetitivo, para que estes voltem ao mercado de trabalho. Além disso, a TO atua em pessoas com deficiência física que tem dificuldade para arranjar emprego.

– Reintegração Social:

O profissional também atua com pessoas em situações de vulnerabilidade social, como, dependentes químicos, crianças e/ou adolescentes em conflito com a lei, ajudando-os na sua volta ou entrada na sociedade.

 

Fonte: Cidades na Net

Relacionadas