Grandes pensadores em diálogo com a Psicologia

No dia 20 de março, no Auditório 2 do campus Dunas Unifanor | Wyden, iniciou a primeira mesa-redonda do projeto “Grandes pensadores em diálogo com a Psicologia”, que tem o objetivo de discutir temas atuais e relevantes para a Psicologia, a partir de pensadores de diversos campos do saber, de modo a fomentar o hábito da leitura e atitudes reflexivas, que são tão relevantes na formação de futuros psicólogos. 

A grande pensadora contemplada nesse primeiro evento foi Ângela Davis, nascida em 1944 no Alabama; ela cresceu em um contexto de violência explícita e letal contra negros e negras. Ganhou notoriedade ainda na década de 1960, integrando o Partido dos Panteras Negras. Ângela dedicou sua vida à luta pelos direitos das mulheres, contra a discriminação racial e pelo Abolicionismo Penal. Professora emérita da Universidade da Califórnia, Ângela Davis tem diversos livros publicados no Brasil, dentre os quais se destacam “Mulheres, Raça e Classe” (2016), “A liberdade é uma luta constante” (2018) e “Estarão As Prisões Obsoletas?” (2018). Considerando a relevância de sua vida e produção acadêmica, o evento procurou estabelecer relações entre a ciência e profissão da Psicologia com a obra da autora. Para tanto, o diálogo foi realizado a partir das contribuições de integrantes de movimentos sociais que atuam nas pautas mais caras à Ângela Davis: Franciane Oliveira, do Instituto Negra do Ceará e pesquisadora do Laboratório de Estudos e Pesquisas em Afrobrasilidades, Gênero e Família; e Alessandra Felix, integrante do grupo Vozes de Mães e Familiares do socioeducativo e prisional do Ceará. As professoras do curso de Psicologia Unifanor Wyden:  Ana Vládia Holanda (Doutora e Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte) e Isadora Dias (Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Ceará) também compuseram a mesa-redonda interdisciplinar, com mediação da professora Olívia do Vale (Mestre em Ciências do Comportamento pela Universidade de Brasília – UnB).

Para a psicologia, é impossível pensar o ser humano dissociado do contexto cultural e dos diferentes lugares que esse sujeito ocupa na sociedade. Esse indivíduo será perpassado por suas vivências no mundo, sendo de grande relevância refletir sobre as influências das categorias de gênero, raça e classe na constituição desse sujeito. Dessa forma, Ângela Davis tem muito a contribuir com a práxis do profissional da psicologia. 
 
Depoimentos:

“Pensando enquanto futura psicóloga, ter me feito presente na mesa-redonda de ontem foi um momento único e rico. É importante no meio acadêmico termos experiências de escuta de vivências reais de luta, raça e gênero de pessoas que estão em cenários conflitivos cotidianamente; nos engrandece como pessoa!”, Marilia Sousa, estudante do curso de Psicologia Unifanor Wyden.
 
“Registro a gratidão às professoras organizadoras do evento e à Unifanor, por poder me dar o privilégio de ouvir aquelas que precisam ser ouvidas e falam o que nós precisamos para transcendermos em nossa graduação, e mais ainda como pessoas.” Ana Beatriz Freitas, estudante do curso de Psicologia Unifanor Wyden.
 
“Diante dos relatos das convidadas para o evento, pudemos estabelecer diversas relações com uma Psicologia ciente de sua opção histórica de resistência e contestação aos cenários violadores da dignidade humana, considerando o Sofrimento Ético-Político da população atendida e os desafios de sua atuação na interface com o Justiça, em especial nas instituições privativas de liberdade.”, Profa. Ana Vládia Holanda, docente do curso de Psicologia Unifanor Wyden.