Importância da Dança 

Dançar envolve mais do que somente se movimentar. Na dança, estão inseridas múltiplas possibilidades de contato com o mundo, possibilitando movimentação corporal, interação e comunicação. Entendendo a importância da dança, o Comitê Internacional da Dança (CID) da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), criou o Dia Internacional da Dança, em 1982. A data de nascimento de Jean-Georges Noverre (1727-1810), um mestre do balé francês, foi escolhida como Dia Internacional da Dança em homenagem a Noverre, que nasceu em 29 de abril.

Visando sensibilizar a comunidade acadêmica para essa relevante expressão cultural e artística, no dia 29 de abril, às 16h, no Campus Dunas, foi realizado o evento "Subjetividade em movimento - seguindo o ritmo da dança", em uma proposta interdisciplinar, com experiência prática. Tivemos a presença dos seguintes convidados: Marcionília Fernandes Pimentel , Bióloga, Doutora em Ciências Marinhas Tropicais, Arte-terapeuta, mentora do “Clube da dança livre” e sócia na “Maré - terapias e artes” e Ben Hur Lima de Oliveira, Psicólogo Clínico, Arte-terapeuta, Acupunturista e praticante de Qi Gong. O evento foi organizado pela Profa. Diva Barreto, psicóloga, Mestre em Psicologia. Docente do curso de Psicologia Unifanor | Wyden.

O evento possibilitou ricas experiências, que possibilitaram integração entre os participantes, que entenderam e praticaram a dança coletivamente, em uma bela comemoração do Dia Internacional da Dança.

Depoimentos

“Dançar significa estar em contato. Consigo, com outro, com o mundo. Hoje houve encontros, desencontros e reencontros. Foi mágico. Revigorante. Obrigada por esse momento.” - Brenda Nascimento - aluna do curso de Psicologia do Centro Universitário Unifanor | Wyden

“Hoje tive a oportunidade de experienciar um momento de auto-cuidado e encontro comigo mesma. Acredito que o corpo fala e que quando paramos para poder senti-lo e entendê-lo, sinto que sou capaz de observar o movimento que me encontro e de tantos significados que isso pode ter. A troca incrível que houve com o grupo por meio da dança hoje representa para mim que muitas vezes podemos ser tocados pelo o outro  com um objetivo simples: estar em um espaço no qual não sejamos julgados ou criticados; onde podemos nos sentir aceitos e acolhidos.” - Maria Luiza - aluna do curso de Psicologia do Centro Universitário Unifanor | Wyden

A Profa. Diva Barreto – Docente do curso de Psicologia do Centro Universitário Unifanor | Wyden explica que

“O evento sobre dança e subjetividade nos proporcionou entrar em contato com nós mesmos de uma forma diferente do que estamos habituados. Tivemos a oportunidade de experienciar quem somos e o que somos através dos movimentos e isso nos permitiu enxergar o mundo e a nós mesmos por outra perspectiva. Todos saímos desse evento transformados e mais conectados com nosso próprio Eu. Essa experiência foi relaxante ao mesmo tempo que potente, nos acalmou ao mesmo tempo que nos moveu, nos transformou ao mesmo tempo que nos mostrou o que realmente somos. Experiência única que levaremos para a vida, sempre.”