Coordenador Alberto Guerra dá dicas aos consumidores na Black Friday 

black friday

No Brasil, essa já é a 10ª edição da maior temporada de ofertas do ano, a Black Friday. A data é a única ação comercial que cresce mais de dois dígitos anualmente, segundo dados do EBIT, indicador de reputação de lojas virtuais. No entanto, o crescimento é proporcional aos cuidados necessários na hora das compras. O especialista em negócios e Coordenador dos cursos da área no UniMetrocamp I Wyden, Alberto Guerra, produziu algumas pesquisas, e é autor de um livro sobre o assunto. Alberto, preparou três dicas para auxiliar os consumidores a fazerem as compras da melhor forma nesta época. 

 

1 - Pesquisar bem e com antecedência 

Apesar da pesquisa ser o primeiro princípio para quem quer comprar algo fora dos gastos usuais, durante a Black Friday o cuidado deve ser redobrado. Os preços podem variar bastante entre as lojas físicas e e-commerces. 

 

2 - Fique atento às formas de pagamento 

Para os consumidores que pretendem pagar à vista, boa parte das lojas físicas e online concedem descontos extras (5 a 12%) para pagamento em dinheiro ou no boleto, então vale a pena pechinchar e tentar os melhores preços. 

 

3 - Conheça o Código de Defesa do Consumidor 

O que muitas pessoas não sabem é que, apesar das ofertas, os direitos são os mesmos em relação aos produtos comprados na Black Friday ou em outra época do ano, seja nas lojas físicas, seja no e-commerce, ou produtos de mostruário. Por isso, em caso de violação, é importante que o consumidor saiba o que é direito dele. 

 

Quais são as recomendações aos consumidores?

É importante que os consumidores pesquisem bem com alguma antecedência sobre preço, descrição e funcionalidade dos produtos desejados, para fazer uma compra com economia dos produtos de uso frequente (chamados de utilitários) como itens de higiene e compras de supermercados) e acessar os produtos de sonho(chamados de hedônicos) como eletrônicos, eletrodomésticos, viagens e produtos de grife com descontos relevantes.

Existem diversos mecanismos de busca na internet que permitem pesquisar sobre a qualidade/funcionalidade, assim como histórico de preços dos produtos e reputação das lojas e  nas  redes sociais os consumidores podem verificar os relatos de outros usuários em relação as suas experiências.

Para os consumidores que pretendem  pagar à vista, boa parte dos lojistas físicos e online concedem descontos extras (5 a 12%) para pagamento em dinheiro ou no boleto, vale a pena pechinchar.

É importante o consumidor prestar atenção a cobrança do frete, que pode encarecer o custo total e ao prazo de entrega dos produtos e evitar fazer compras em sites desconhecidos e tomar muito cuidado com sites estrangeiros na qual o Código de defesa do consumidor não pode proteger.

Os consumidores tem os mesmos direitos em relação aos produtos comprados na BF, da mesma forma que em outra época do ano, sejam nas lojas físicas ou no e-commerce, mesmo sendo produtos de mostruário , mas a troca por outro produto diferente , apesar de ser muito comum no varejo, é facultativa ao lojista.

 

Confira nossos cursos  Inscreva-se no vestibular