Qual a média salarial de um engenheiro de produção?

Você sabia que existe uma profissão que une cálculos com técnicas de produtividade e gestão de projetos? É a engenharia de produção! Ela é uma carreira do campo das ciências exatas que se dedica ao gerenciamento de recursos financeiros e humanos envolvidos na produção de serviços.

Lida também com a interação entre materiais, processos e equipamentos, utilizando-os como um recurso para a realização da atividade produtiva. Quer conhecer mais sobre esse curso e saber qual o salário do engenheiro de produção? Então continue acompanhando!

O que faz um engenheiro de produção?

O profissional formado no curso de engenharia de produção une conhecimentos da engenharia, economia e administração. Seus conhecimentos são direcionados para implantar, projetar e buscar melhorias no sistema de produção da empresa, sempre tendo como objetivo a produtividade e a gestão eficaz de recursos.

O engenheiro de produção é peça fundamental em todos os tipos de empresas. Trabalha com o intuito de melhorar a rentabilidade e produtividade. Além disso, dispõe de conhecimentos para adotar métodos e procedimentos que aperfeiçoam as técnicas de produção, racionalizam o trabalho e ordenam as atividades logísticas, financeiras e comerciais de uma indústria.

O exercício da engenharia de produção está explicitado na Lei 5.914/66. De acordo com ela, as atribuições e atividades do profissional dessa área consistem em:

  • Desempenhar funções, cargos e comissões em entidades estatais, de economia mista e privada;
  • Realizar projetos e planejamentos de zonas, cidades, transportes, estruturas, obras, desenvolvimento da produção agropecuária e industrial, entre outros;
  • Fazer análises, estudos, vistorias, pareceres, projetos, perícias e divulgação técnica;
  • Lecionar, realizar experimentos, ensaios e pesquisas;
  • Fiscalizar serviços técnicos e obras.

Ou seja, esse profissional atua nos mais diversos setores das organizações e pode ainda trabalhar como profissional autônomo, em bancos, empresas prestadoras de serviços, setor de turismo, logística, telecomunicação, lojas de varejo, dentre outros campos.

Como está o mercado para a Engenharia de Produção?

Para trabalhar nessa área, é preciso ter diploma de graduação em engenharia de produção e estar registrado no Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA). Apesar da retração do mercado de trabalho no Brasil, a engenharia de produção ainda desfruta de uma situação favorável, pois o engenheiro de produção é um profissional multidisciplinar, possuindo um amplo campo de atuação.

As regiões Norte e Nordeste são as que apresentam melhores chances para esses profissionais. Porém, não são áreas exclusivas para emprego, sendo possível encontrar vagas em todo o país.

Qual a média salarial do engenheiro de produção?

Os salários de engenheiros são regulamentados pela Lei 4.950-A/66. De acordo com ela o piso salarial para o engenheiro de produção que tem uma carga horária de 6 horas/dia corresponde a seis vezes o valor do mínimo salário vigente no país.

As horas extras trabalhadas são acrescidas em 25% da quantia base do salário – esse valor corresponde a 7,25 salários mínimos para 7 horas/dia e 8,5 salários mínimos para 8 horas/dia trabalhadas.

Vale lembrar que o profissional pode melhorar a sua formação através de especializações, como pós-graduação. Esses cursos complementam os conhecimentos adquiridos durante a graduação, permitem um upgrade no currículo e podem ainda ser relacionados a salários mais altos.

Relacionadas

Laboratórios de Engenharia da Metrocamp